quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Romero Jucá Senador sua filha explora minério em Roraima, na fronteira com a Venezuela

01) Empresa ligada a Romero Jucá é autorizada pela União a pesquisar e explorar minérios em RR Roraima. 


02) A Justiça de Roraima decretou a indisponibilidade dos bens da prefeita de Boa Vista, Maria Teresa Jucá (PPS), esposa de Romero Jucá, em razão de uma ação do Ministério Público Estadual em que ela é acusada de desvio de dinheiro público por coleta e lixo não realizadas e funcionários  contratados pela prefeitura para trabalharem como cabos eleitorais de Romero Jucá [2].

03) Lula sempre gostou da folha corrida de Romero Jucá. O procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, denunciou Jucá ao Supremo Tribunal Federal STF por crimes contra o sistema financeiro.  O ministro Cezar Peluso STF arquivou o “inquérito (Inq. 2.221) contra o Senador Romero Jucá (PMDB-RR) acusado de fraude envolvendo a empresa Frangonorte, em razão da prescrição do crime”. Livre da ameaça de saldar a conta do calote e dormir na cadeia por 2 a 6 anos, Jucá festejou o Natal e o reveillon em paz. O Banco da Amazônia não verá a cor do dinheiro. Simples assim. É o Brasil.

04) Romero Jucá, um ministro feito 110% de encrenca
http://mudancaedivergencia.blogspot.com.br/2008/12/romero-juca-um-ministro-feito-110-de.html

05) Romero Jucá, o lobista, o laranja, a jucalandia e entreguismo em Roraima
http://mudancaedivergencia.blogspot.com.br/2016/05/romero-juca-o-lobista-o-laranja_24.html

Questionamos: Porque Lula com endosso do STF demarcou como contínua as áreas indígenas em Roraima, expulsando os agricultores lá estabelecidos? 

 

O Conselho de Defesa Nacional, órgão consultivo da presidente Dilma Rousseff (PT) em assuntos relacionados à soberania nacional e à defesa do Estado democrático, publicou no dia 24 de fevereiro 2014, no Diário Oficial da União, uma autorização prévia para que uma empresa ligada ao senador Romero Jucá (PMDB) possa pesquisar minérios em Roraima.

A empresa Boa Vista Mineração Ltda, que tem como cotista Marina de Holanda Menezes Jucá Marques, filha do parlamentar, poderá pesquisar ouro e basalto em 14 áreas diferentes do Estado. São 110.540,79 hectares divididos nos municípios de Amajari, Bonfim, Boa Vista e Cantá, inclusive na faixa de fronteira do Estado. Romero Jucá é autor do projeto de lei 1610/1996, que prevê a regulamentação da mineração em terras indígenas e que ainda está sob análise do Congresso Nacional.[1]
mineração Jucá
O senador Romero Jucá (PMDB) retirou de tramitação do Congresso, em 15/12/2014 o projeto de lei 1610/96, de sua autoria, que propunha a regulamentação de garimpo em terras indígenas. Ele justificou alegando que sua decisão contribuiria para calar aqueles que o atacavam com agressões “irresponsáveis e caluniosas”.
  • Embora alegue que retirada do projeto seria prova de que não tem interesse em mineração,  sua filha tem  mineradora em Roraima.
  • Um processo aberto pelo Ministério Público Federal requer a anulação dos 1.200 pedidos de pesquisa e lavra mineral em terras indígenas de Roraima que tramitam no Departamento Nacional de Produção Mineral. Se o procurador Fernando Machiavelli Pacheco tiver sucesso, enterrará as pretensões da Boa Vista Mineração de explorar áreas de reserva. Entre os sócios da empresa está Marina de Holanda Menezes Jucá Marques Marina Jucá, filha do senadorRomero Jucá (PMDB-RR).
Na tarde do dia 17 de maio 2012,quinta-feira de trabalho no Congresso, o senador Romero Jucá, do PMDB de Roraima, subiu à tribuna para, como de hábito, defender os mais caros interesses do país. Desta vez, exortaria os parlamentares a legalizar a mineração em terras indígenas, prevista num projeto de lei patrocinado por ele. Jucá se ajeitou na tribuna, empertigando-se diante do microfone, e se pôs a falar: “Quero aqui registrar a importância deste debate. Para o Brasil, é muito importante (a aprovação da lei)”. Passou, então, a explicar os benefícios da proposta: “Haverá pagamento de royalties ao Poder Público e também à população indígena. Ganhará o direito à mineração aquele que pagar mais à comunidade indígena. Haverá uma licitação. Haverá todo o cuidado ambiental, todo o cuidado antropológico da Funai”. Jucá – talvez convencido de que comovera os colegas por ter, pela primeira vez na carreira, empregado no mesmo discurso os termos “licitação”, “cuidado ambiental” e “cuidado antropológico” – encerrou com um apelo para que o projeto seja aprovado logo, ainda neste ano. Por que Jucá tem pressa?
PEPITAS O senador Romero Jucá. Sua filha quer explorar minério em Roraima,  na fronteira com  a Venezuela  (Foto: Celso Junior/AE)Em 2 de abril – portanto, um mês antes do discurso de Jucá –, a empresa Boa Vista Mineração pedira autorização ao governo para explorar ouro em nove terras que contêm áreas indígenas. O pedido fora feito ao Departamento Nacional de Produção Mineral, o DNPM, instância burocrática que cuida do assunto. A quem pertence a Boa Vista Mineração, uma empresa com capital de R$ 2 milhões? A sócia majoritária chama-se Marina Jucá, de 29 anos, filha do senador Romero Jucá. Outros dois sócios dela no negócio também são ligados ao senador. O tino empresarial de Marina Jucá é recente. Não faz muito tempo, era empregada no gabinete do pai e fazia faculdade em Brasília.Na tarde do dia 17 de maio, uma quinta-feira de trabalho no Congresso, o senador Romero Jucá, do PMDB de Roraima, subiu à tribuna para, como de hábito, defender os mais caros interesses do país. Desta vez, exortaria os parlamentares a legalizar a mineração em terras indígenas, prevista num projeto de lei patrocinado por ele. Jucá se ajeitou na tribuna, empertigando-se diante do microfone, e se pôs a falar: “Quero aqui registrar a importância deste debate. Para o Brasil, é muito importante (a aprovação da lei)”. Passou, então, a explicar os benefícios da proposta: “Haverá pagamento de royalties ao Poder Público e também à população indígena. Ganhará o direito à mineração aquele que pagar mais à comunidade indígena. Haverá uma licitação. Haverá todo o cuidado ambiental, todo o cuidado antropológico da Funai”. Jucá – talvez convencido de que comovera os colegas por ter, pela primeira vez na carreira, empregado no mesmo discurso os termos “licitação”, “cuidado ambiental” e “cuidado antropológico” – encerrou com um apelo para que o projeto seja aprovado logo, ainda neste ano. Por que Jucá tem pressa?
Jucá afirma que não há conflito de interesses em defender uma lei que beneficia sua filha!!!
O clã Jucá quer explorar ouro em reservas dos índios macuxi e uapixana, em terras que somam 90.400 hectares (algo como a extensão da cidade do Rio de Janeiro). O garimpo ficará próximo à fronteira com a Venezuela, em Roraima. Em Brasília, está tudo preparado para a criação do eldorado de Jucá. O relator na Câmara do projeto de Jucá é o deputado Édio Lopes, também do PMDB de Roraima, e amigo do senador. Sérgio Dâmaso, que dirige o DNPM e pode conceder as autorizações à empresa de Jucá, é bancado no cargo pelo PMDB. Se a proposta for aprovada, é provável que a empresa de Jucá consiga as autorizações de imediato, sem licitação, porque as havia pedido antes de a nova lei passar a valer.
Procurado por ÉPOCA, Jucá limitou-se a dizer, por e-mail, que não tem nada a ver com a empresa da filha. Disse ainda que a defesa que faz no Congresso Nacional da aprovação do projeto de lei não representa conflito de interesses com a atividade empresarial de Marina de Holanda Menezes Jucá Marques  Marina Jucá. “É de interesse do país que esse assunto seja regulamentado.”O clã Jucá quer explorar ouro em reservas dos índios macuxi e uapixana, em terras que somam 90.400 hectares (algo como a extensão da cidade do Rio de Janeiro). O garimpo ficará próximo à fronteira com a Venezuela, em Roraima. Em Brasília, está tudo preparado para a criação do eldorado de Jucá. O relator na Câmara do projeto de Jucá é o deputado Édio Lopes, também do PMDB de Roraima, e amigo do senador. Sérgio Dâmaso, que dirige o DNPM e pode conceder as autorizações à empresa de Jucá, é bancado no cargo pelo PMDB. Se a proposta for aprovada, é provável que a empresa de Jucá consiga as autorizações de imediato, sem licitação, porque as havia pedido antes de a nova lei passar a valer.
[2] http://feeds.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1105200531.htm~
http://amajarirevela.blogspot.com.br/2014_08_01_archive.html - MINERAÇÃO - 31/08/2012 23h04 - Atualizado 
em 31/08/2012 

12 comentários:

roberto schinemann disse...

o que me estranha é o orgão governamental que trata sobre a mineração,se este minerio pode vim a contribuir para a salavação nacional;porque é tão pouco difundido;quem tem interesses em esconder dos Brasileiros este mineral e não vejo uma propaganda massiça deste mineral nas televisão por que serà?

Marilda Oliveira disse...

Sr. Roberto, grata pelo seu comentário. A TV Record promoveu novela sobre o Nióbio aonde jornalista entrou em contato para detalhes, indignada como todos se calam sobre o assunto; a novela encerrou rapidamente não teve audiência. A mídia ganha para não divulgar, o minério está nas mãos dos globalistas liberado pelos políticos corruptos em que a máscara está caindo dia a dia através dos audios será dificil todos são corruptos. Quanto ao Nióbio a família Neves em MG é a principal monopolizadora junto aos Moreira Sales The Rockfeller desde os anos 50. É expropriado, os governantes sabem, as FFAA sabem, todos se calam, O perigo para a Soberania brasileira,,, eis que surge a MP 458 de Lula e Unger entregando a Amazônia brasileira: MP 458 O Ministro Mangabeira Unger manipulou 67 milhões de hectares de terras na Amazônia são terras devolutas, câmara incrementou, senado aprovou, Lula transformou em Lei!, e Lei Inconstitucional ![9] http://mudancaedivergencia.blogspot.com.br/2016/05/romero-juca-o-lobista-o-laranja_24.html

Gazy Andraus disse...

Roberto schinemann disse: "o que me estranha é o orgão governamental que trata sobre a mineração,se este minerio pode vim a contribuir para a salvação nacional;porque é tão pouco difundido;quem tem interesses em esconder dos Brasileiros este mineral e não vejo uma propaganda massiça deste mineral nas televisão por que serà?" Eu respondo: a China vem comprando áreas do Brasil que tem esse minério. E o Brasil vem as vende a preços baixos. Gazy Andraus

Marilda Oliveira disse...

Gazy Andraus, Grata. No final dos anos 60 as jazidas DE Nióbio foram descobertas e mapeadas. Entre os anos 70e80 (até o final do regime militar) o Brasil investiu em pesquisas de exploração, caracterização e aplicação desse metal....formou engenheiros especializados que normatizaram o nióbio em normas ABNT e toda tecnologia para a exploração e comercialização dessa commodity ficou pronta no início dos anos 80, faltando apenas o modelo econômico de exploração dessas jazidas... Antes do final do regime militar todo o programa foi suspenso, a tecnologia arquivada, devido a decisão estratégica de mercado de esperar que as jazidas chinesas (país líder nesse tipo de commodity e que dita o preço mundial) de tungstênio entrassem em exaurimento, para que as chances do Brasil se tornar líder mundial dessa commodity se tornasse uma realidade “..., ... ...”o momento de exaurimento das reservas chinesas é agora, e o Governo brasileiro tem a tecnologia de exploração. Acontece que o governo atual está vendendo em segredo o nióbio brasileiro para a China sem aprovação do modelo econômico que nos beneficie...a liderança mundial da exploração dessa commodity deverá continuar com esse atual governo, com a China...Tanto no governo Dilma, como num suposto governo Temer...é importante que o Brasil conheça nossas reservas e nossas riquezas, para exigir que o Governo brasileiro defenda o que é nosso. LEIA: http://niobiomineriobrasileiro.blogspot.com.br/2016/04/niobio-para-china-o-governo-esta.html

Gerandrade disse...

Presidente Temer não tema, Edite ma medida provisória estatizando a esploração do Nióbio no Brasil, e passe o Comando para uma comissão formada por técnicos aeroespaciais brasileiros das três forças. O Brasil nunca mais será o mesmo. será uma superpotência a ser reconhecida pelo mundo inteiro: Com toda certeza do mundo:
Deus Seja louvado.

Marilda Oliveira disse...

Grata Gerandrade pelo seu precioso comentário.

Carmen L Caetano disse...

Vergonhoso...por essas e outras esses bandidos se protegem ! Temos que limpar o Brasil,mudar a nossa forma de Governo e enjaular todos esses pilantras !

Marilda Oliveira disse...

Com toda certeza Carmen L.Caetano, grata pelo comentário. Aguardemos a Operação Métis da PF e a prisão da clã José Sarney 'líder' (PMDB-AP) e ao presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL, Lobão Filho (PMDB-MA), de Glesi Hoffmann (PT-PR) e de Fernando Collor (PTC-AL, “A deliberada utilização de um equipamento sofisticado, de propriedade do Senado Federal, utilizando recursos públicos, passagens aéreas custeadas pelo Erário e servidores concursados, em escritórios ou residências particulares, não possui outro objetivo senão o de embaraçar a investigação de infração penal que envolve organização criminosa” DA-LHE! OPERAÇÃO LAVA JATO, prenda essa quadrilha que interrompeu o crescimento do Brasil nos últimos 30 anos, tendo eles como pensante o Senador (afilhado do Sarney) por RR Romero Jucá (PMDB). Grata.

Blauth disse...

E preocupante que uma riqueza mineral dessas,com valor comercial enorme esteja sendo comercializada nos moldes que esta sendo feito. Sendo o Brasil possuidor de imensas reservas deste mineral. Para melhor entendimento, sujiro assistirem este documentário.
https://youtu.be/8hHBoF92D1Y

Marilda Oliveira disse...

Grata Blauth pelo vídeo https://youtu.be/8hHBoF92D1Y aonde o combatente cidadão brasileiro Antonio José Ribas Paiva alerta o povo brasileiro contra o descaminho do Minério Nióbio que somente ele tornaria o Brasil auto-sustentável e infelizmente seu descaminho é vergonhoso, encoberto pelos três poderes que nada faz. Pior ainda são as Terras Raras quando os mineradores tiram a licença e encontrando os minérios atômicos são contrabandeados via Oiapoque, sem quaisquer cuidado, fazendo destino à países que não apreciam a paz. Saudações,

Caio disse...

Marilda, a disputa está entre chineses e ingleses ou estou enganado?

Marilda Oliveira disse...

Veja Caio o Modus Operandi da Quadrilha que manipula os minérios no Brasil no link abaixo; - devem vender para quem oferece mais, tudo é negociado no parlamento os royalties! Como não existe o modelo econômico que beneficie o Brasil, fica difícil saber para quem (vários) No entanto os maiores são: França, Asia, China, Rússia, Coreia do Norte!!!; - fica difícil imaginar tanta riqueza mineral saindo do Brasil e o Tesouro falido, não recebe os dividendos?; quando contestamos o Lobão responde: o Brasil tem muito minério para todos; Jucá está em Roraima desde os anos 80 nomeado por Sarney. Sarney que controla a rota dos minérios no Amapá divisa, fronteira, RIQUÍSSIMA as regiões mais subdesenvolvidas do Brasil, e perguntamos porque eles estão sempre juntos, unidos, envolvidos na Lava Jato em corrupção, e protegidos pelo STF, pela imunidade parlamentar!

http://niobiomineriobrasileiro.blogspot.com.br/2016/10/traficantes-vendem-torianita-da.html