terça-feira, 18 de dezembro de 2018

A nova política Neoliberal do governo Bolsonaro será tomar territórios dentro do Brasil à força sem olharem para a inconstitucional OIT-169 ratificadas junto a ONU pelo "liberal" FHC e seu seguidor Lula da Silva.

Nota minha: Está acontecendo no Maranhão o mesmo que aconteceu em Roraima e demais locais do Amazonas, aonde o governo Federal aplaudiu, o Alto Comando Militar se calou,  o STF-Supremo Tribunal Federal demarcou as TIs e virou a página, na total inconstitucionalidade, terras para usufruto dos globalistas e não da União;  eu digo sobre as TERRAS DA UNIÃO, sem falar no descaso com os indígenas brasileiros que jamais tiveram apoio dos governantes em suas conquistas  à nível cultural, livrando-os do domínio das ONGs internacionais e instituições como a CIMIConselho Indigenista Missionário à serviço dos globalistas internacionais, para integrarem ao lado da sociedade uma vida igual. O governo atual expulsando os indígenas de suas terras para favorecer políticos, estão esquecendo da OIT-169 ratificada junto a ONU por FHC e Lula da Silva. Os governos de Lula da Silva e Temer se encarregaram das demarcações contínuas e fraudulentas assim como da expulsão dos índios sem qualquer política nacional que  pudesse funcionar, inclusive os agricultores de arros como no caso de Roraima EXPULSOS, que forneciam aos indígenas mão de obra para sua sobrevivência, mas não, as terras ficaram a disposição para a exploração dos minérios em que o solo riquíssimo possui. O final do governo Temer está sendo marcado por crimes praticados sem precedentes, favorecendo os grileiros que continuarão atuar no futuro governo "Neoliberal"   em que 70% do povo brasileiro votou em massa para retirar o PT do poder, e o candidato eleito & equipe selecionada, teima em culpar apenas o PT e só o PT pelos crimes praticados no Brasil desde 1985! O que pensar? Perdemos?
Resultado de imagem para Os Ka’apor no Maranhão
01) Os Ka’apor no Maranhão e a “negligência histórica” do Estado na área.
02) O despejo contra a comunidade do Engenho, determinando assim, “reintegração de posse” em favor do deputado Alberto Franco e o despejo da comunidade.
o Juiz da 1ª Vara da Comarca de São José de Ribamar, Gilmar de Jesus Everton Vale, foi ainda mais longe. O Juiz da 1ª Varaextrapolou a ordem e decidiu antecipar a tentativa de despejo contra a comunidade em cinco dias, apressando o Comando da Polícia Militar sem observância das exigências legais e ciência da comunidade, numa tentativa apressada de consumar o despejo a todo custo em favor de Alberto Franco.
A Justiça do Maranhão passou o trator (literalmente) sobre o território do povo indígena Tremembé do Engenho. As plantações e tudo o que os indígenas construíram viraram escombros. Foram deslocados mais de 150 soldados da Polícia Militar, Tropa de Choque e Polícia Rodoviária Federal
03) O Maranhão, nas últimas décadas, sempre foi um paraíso de grileiros de terras, protegidos pelo grupo Sarney. O próprio Alberto Franco, além de deputado, foi também secretario de Estado em um dos governos Roseana. Sobre o caso do Engenho, dentro e fora do Maranhão, existe uma expectativa que o poder público tome uma decisão em favor da vida e não dê prosseguimento à ação contra os Tremembé. A expectativa é que o Maranhão não continue a produzir imagens (e fatos!) nos quais os pobres sigam sendo vitimas de diferentes formas de violência, incluindo o uso da força em favor da corrupção e do racismo.
https://www.youtube.com/watch?v=FGHviI1dwgE

Raposa Serra do Sol - Roraima

   Toda a verdade sobre Roraima






Posted: 13 Mar 2016 12:30 AM PST
Agitações e pressões em Brasília. A população honesta e trabalhadora foi um das primeiras vítimas.
Agitações e pressões em Brasília.
A
população honesta e trabalhadora foi um das primeiras vítimas.
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs

Catolicismo —  Como vem sendo a atuação do Conselho Indígena de Roraima (CIR) lá na Raposa/Serra do Sol?

Silvestre — O CIR sempre atuou, mas para desmoronar. Os cabeças da entidade estão todos empregados na Secretaria do Índio, do INCRA, com bons salários, eles sempre viveram assim, sempre viveram por trás da população indígena que está lá sofrendo.

Catolicismo — Essa Secretaria do Índio é do Governo do Estado ou do Governo Federal?

Silvestre —  É do Governo do Estado, embora não seja da competência dele. O estado vem se obrigando a fazer coisas que seriam da competência do Governo Federal. A Secretaria do Índio ajuda um aqui, outro ali, porque não dá pra ajudar todo mundo.

No caso da energia elétrica, numa recente entrevista eu até citei o senador Romero Jucá.

Ele vai à televisão e fala assim: “A luz para todos em Roraima está consumada, a luz para todos atingiu todo mundo em Roraima”. Apesar de dizer “energia para todos”, a 100 km daqui, no Boqueirão, onde eu morei, eles negociaram para a luz passar dentro de Guri e descer 15 km com a rede, pois hoje estão lá 19 pais de família sem energia.

A luz foi colocada só no centro da comunidade e o resto ficou sem nada. Eles estão falando que vão colocar.

Catolicismo — E na Raposa/Serra do Sol, não tem energia?

Silvestre — Alguns têm, porque o governo deu um motor de luz pra eles lá. Ou aqueles que têm uma condiçãozinha para comprar um motorzinho. Mas os outros estão lá sem energia! É brincadeira...
Fazenda de produção de arroz demolida após expulsão dos fazendeiros de Raposa Serra do Sol.
Fazenda de produção de arroz demolida
após expulsão dos fazendeiros de Raposa Serra do Sol.
Catolicismo — Para a Raposa/Serra do Sol não vai energia?

Silvestre — Para lá não vai.E temos lá uma grande cachoeira possibilitando a construção de uma hidrelétrica para abastecer Roraima e outros estados, até outros países, mas a luz aqui vem da Venezuela.

Pode parecer que eu estou mentindo, mas vá lá para ver... Se fizerem a hidrelétrica ali, vai ser a vida para as comunidades indígenas, vai gerar dinheiro, vai gerar luz, vai gerar tudo de bom para aquelas comunidades.

Eu me lembro de um ex-governador que já se foi. Ele dizia: “O desenvolvimento do Estado e do País chama-se estrada e energia”.

As terras eram plantadas com arroz, do Genor Faccio, do Paulo César Quartiero, daqueles arrozeiros todos que foram retirados de lá.

Num dia desses o Dr. Juiz Hélder Girão Barreto me perguntou: “Silvestre, me diga uma coisa, como é que está a Raposa/Serra do Sol?”.

Eu respondi: “Está abandonado, doutor.”

Aí ele disse: “A gente sabia. Eu estou fora disso agora.”

Ele disse desse jeito pra mim! Mas na época ele foi a favor da demarcação... Hoje o índio deveria estar plantando, colhendo, ganhando dinheiro e abastecendo o Estado.

Catolicismo — Parece que o Estado perdeu 4% do PIB com a saída dos arrozeiros de lá. É isso mesmo?

Silvestre — Só o Paulo César tinha 5.000 funcionários trabalhando na empresa de arroz dele. Ele foi retirado, e então essas 5.000 pessoas estão aí hoje quase todas desempregadas, porque o desemprego é grande aqui. O índio continua abandonado mesmo!

Catolicismo — Qual é a sua formação escolar?
Índio Silvestre Leocádio da Silva falando
Índio Silvestre Leocádio da Silva falando
Silvestre — Eu só tenho o ensino fundamental. Vou relatar o que aconteceu recentemente comigo e com a minha família. Os garimpeiros sobem para a mina Santa Rosa — como hoje está tudo difícil, então muita gente está aí desempregada e vai atrás de dinheiro seja onde for —, os garimpeiros estão sempre entrando no Santa Rosa para tirar ouro e diamante.

Então, minha filha que mora lá na comunidade do Boqueirão — os garimpeiros passam lá na ida e na volta — ela vende comida para eles. Ela vende comida lá e vive disso.

Depois a Polícia Federal foi lá prendê-la juntamente com o marido. Em seguida, veio aqui na minha casa me prender. Só não me prendeu porque eu não me encontrava no momento.

E sabe qual a razão? Alegava que eu estava apoiando os garimpeiros, estava comprando arma, estava dando todo o apoio aos garimpeiros.

E minha filha, os estava alimentando quando eles passavam pelo Boqueirão... E eu nem conheço esses tipos...

Minha filha tem um telefone rural. O delegado disse para mim que ela não pode ter telefone, porque ele é via satélite.

Eu disse para ele: “Sr. delegado, isso aqui é um telefone! Eu sou índio, será que não posso ter um telefone?” Ele respondeu: “Telefone que custa R$ 1.300,00, ela não pode ter..”. Mas o que é isso!?
PF numa primeira incursão na área da Raposa/Serra do Sol em 2008, Foto Roosewelt Pinheiro-ABr.
PF numa primeira incursão na área da Raposa/Serra do Sol
em 2008, Foto Roosewelt Pinheiro-ABr.
A Polícia Federal prendeu minha filha e foi preciso pagar um advogado para soltá-la. A PF foi bater na penitenciária, porque disse que ela e seu marido estavam traficando gasolina, traficando ouro.

É triste, hoje as comunidades não podem ter nada, eles querem os índios lá andando nus, pedindo as coisas. É complicado! Eu discordo disso aí, eu como indígena discordo.

Eu acho que nós indígenas temos que acompanhar o progresso do Brasil e de todo o mundo, temos que acompanhar o branco, o preto, temos que acompanhar a política brasileira, a política estrangeira, tudo nós temos que ter conhecimento. Se não, para onde nós vamos?

Eu trabalhei com os padres durante 20 anos. Por isso, eu aprendi muita coisa, estudei. Era para eu ter ido à Itália me formar; mas então eu não quis. É por isso que não sou formado.

Eu comprei muito gado pra Igreja Católica distribuir às comunidades indígenas no município de Alto Alegre. Depois eu saí fora, porque chegou um momento em que eu entendi que não era o que eu queria, era o que os padres queriam.

Depois fui para a SODIUR [Sociedade de Defesa dos Índios Unidos de Roraima], tornei-me presidente dela e nos colocamos contra a demarcação da Raposa/Serra do Sol.

Catolicismo — A SODIUR ainda existe?

Silvestre — Existe. Hoje a FUNAI mudou um pouco. Numa época anterior a FUNAI não me considerava como índio porque eu estava na cidade.

Eu não tinha direito a fazer um registro indígena, minha mulher não tinha o direito de fazer o “salário maternidade”, minha família não tinha direito de tirar o registro indígena, porque já estávamos na cidade. A discriminação é grande!

A discriminação vem da política, vem da FUNAI, vem das ONGs, vem de todo mundo, é muito triste.

E quando falo dessa maneira, as pessoas falam assim: “Você fala demais”.
Expulsão dos moradores de Raposa/Serra do Sol
Expulsão dos moradores de Raposa/Serra do Sol
Eu falo a verdade, a dor quem sente sou eu, não posso ser discriminado. Se eu não aprender como o branco procede, ele vai passar por cima de mim, tenho de aprender, tenho de me defender.

Se tivéssemos uma FUNAI que nos desse condições para evoluir, hoje não estaríamos sendo tão discriminados. Contrariamente, a FUNAI existe para ganhar dinheiro em nome do índio, só isso.

A FUNAI me dizia: “Aqui na FUNAI não tem coisa para os índios aculturados, só tem para os ianomâmis, eles estão lá isolados.”

A FUNAI tinha que ir à Raposa/Serra do Sol e, juntamente com o Governo Estadual e o Federal, fazer escola, fazer posto médico, fazer hospital, fazer estrada, fazer uma agricultura com tecnologia. Penso que a FUNAI existe para isso.

Mas ela quer isolar o índio. Se não fosse o governo do estado de Roraima, os índios morreriam de indigência.

A FUNAI abandona o índio. Já ficou claro que a Raposa/Serra do Sol foi demarcada para acabar com os índios, pois os índios estão vindo pra cidade!
Toda a verdade sobre Roraima



quarta-feira, 21 de novembro de 2018

O Nióbio é a Independência do Brasil - Dr. Ribas

COMANDANTES MILITARES ESTÃO TRAINDO A PÁTRIA? O GOVERNO  TAMBÉM ESTÁ TRAINDO? O MINISTÉRIO PÚBLICO TAMBÉM? OS GOVERNADORES TAMBÉM ESTÁ TRAINDO?. A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SE CALA QUANTO A TUDO ISSO, TAMBÉM ESTÁ TRAINDO A PÁTRIA?

Veja a denúncia do Advogado Ribas Paiva sobre o CASO NIÓBIO. E entenda as razões das perguntas acima. 
Ribas Paiva é Palestrante frequentemente convidado pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra. Suas apresentações são assistidas por Autoridades Civis e Militares e por pessoas que trabalham nas mais diversas áreas de atuação profissional.
O Advogado afirmou (em vídeo publicado no Youtube em outubro de 2015) que, em relação ao minério Nióbio:
- o Brasil é governado, desde o Governo FHC, por
traidores;

- o Exército é cúmplice da traição;
- o Ministério Público é igualmente cúmplice;
- POR ESSES MOTIVOS, A NAÇÃO É ARTIFICIALMENTE
MANTIDA NA POBREZA.
   
Link para o vídeo: https://youtu.be/RH0Gi-6uROo
As Instituições Públicas Brasileiras chegaram a um
grau de apodrecimento em que quase nada nos espanta.

Mesmo assim, se você ouvir o que é dito no vídeo,
ficará apavorado com a hipótese de a denúncia ser, em alguma medida,
verdadeira.

Ou ficará apavorado com o fato de o denunciante
fazer acusações tão graves e não ser processado. Nem pelas Forças Armadas, nem
pelo Governo, nem pelo Ministério Público.

Sou um otimista incurável, sem nenhuma chance de
recuperação. Por esta razão, mantenho a esperança de que alguns Comandantes
Militares lerão esta postagem. E se movimentarão para evitar que o CASO NIÓBIO
continue na Grande Gaveta “ficou tudo por isso mesmo”.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Maio de 2017 No Brunch anual do Instituto Ling em New York, o convidado de honra, João Dória falando em privatizar,


Maio de 2017 No Brunch anual do Instituto Ling  do empresário “gaúcho” Winston Ling em New
York, o convidado de honra João Dória (o privatista) falando em privatizar tudo no Brasil;
VAMOS FAZER O MAIS AMPLO PROGRAMA DE PRIVATIZAÇÃO QUE JÁ HOUVE
NESSE PAÍS, DISSE JOÃO DÓRIA  À PLATEIA, E SEMPRE FOCANDO A ISSO "OS
MAIS HUMILDES, OS MENOS PRIVILEGIADOS" SEM JAMAIS FALAR NOS DESVIOS POR
ELES PRATICADOS DESDE A GESTÃO FHC; O PIOR DE TUDO É QUE ELES APLAUDEM QUANDO
DÓRIA FALA DOS ROUBOS DO LULA DA SILVA MAS, JAMAIS FALA SOBRE OS ROUBOS, AS
PRIVATIZAÇÕES MALDITAS QUE FEZ  CONTRA O BRASIL FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
E SUA EQUIPE  DE ECONOMISTAS PH.D QUE HOJE, VOLTAM A RONDAR 
O BRASIL.

domingo, 11 de novembro de 2018

Mudança e Divergência: As Relações Exteriores e o Congresso Nacional com ...

A Comissão das Relações Exteriores e o Congresso nacional está envolvido na trama diabólica onde, por meio do Decreto Legislativo nº 143, datado de 20 de Junho de 2002 ratificaram a divisão do Brasil em 216 Nações Indígenas, e  o Brasil perderá metade de seu território. Serão milhares de brasileiros desalojado de suas propriedades, e o pior, perder a sua própria nacionalidade.

Mudança e Divergência: As Relações Exteriores e o Congresso Nacional com ...: A Comissão das Relações Exteriores e o Congresso nacional está envolvido na trama diabólica onde, por meio do Decreto Legislativo nº 14...

Mudança e Divergência: Ramez Tebet senador (PMDB) que assinou no Congress...

Mudança e Divergência: Ramez Tebet senador (PMDB) que assinou no Congress...: PMDB + PSDB + PT = A desgraça do Brasil. O PMDB  Ramez Tebet presidente do Senado Federal  político brasileiro de ascendência libane...

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

O tio de Trump disse a ele sobre a falta de documentos Tesla e discos voadores?

Nota minha: Em seus últimos tempos nesta terra, Tesla  que queria oferecer para o mundo energia vindo da terra e de graça. foi diado por J.P.Morgan que o boicotava em tudo, era  constantemente vigiado e usava os pombos correios para se comunicar secretamente. Logo após sua morte, do 118 baús existentes (+-) 20 baús sumiram e a última pessoa que manteve contato com Tesla foi John G. Trump professor of engineering at the Massachusetts Institute of Technology, tio de Trump; muito mistério envolve a morte de Tesla e o desaparecimento dos seus projetos. Para onde foram? Tesla estava à serviço dos EUA? ou melhor da antiga CIA tendo no comando a cabala? De lá para cá, a tecnologia elétrica e magnética avançou assustadoramente dia a dia "tudo que acende no mundo vem da tecnologia Tesla" ASSIM, EU DIGO: QUE FALTA FAZ TESLA, os novos lançamentos tecnológicos MUITOS levaram a fama,  enriqueceram, e Tesla continuou no anonimato, esquecido. E viva o carro elétrico Tesla em homenagem a ele. Cabe-nos aguardar alguém revelar quem "confiscou" os baús secretos de Tesla.
Resultado de imagem para https://www.exopolitics.org/did-trumps-uncle-tell-him-about-missing-tesla-papers-flying-saucers/

O tio de Trump disse a ele sobre a falta de documentos(!) Tesla e discos voadores?

(!) colocação minha.
O tio do presidente Donald Trump, John G. Trump, foi professor de engenharia elétrica no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) de 1936 até sua aposentadoria em 1973. É sabido que documentos desclassificados confirmam que em janeiro de 1943 o professor Trump foi chamado pelo FBI para avaliar os documentos pessoais de Nikola Tesla, pouco mais de uma semana após sua morte. O que não é bem conhecido é que há também um documento secreto vazado que também conecta o professor Trump a outro famoso evento da história dos EUA - o acidente de um disco voador em Roswell em 1947.
De acordo com uma homenagem memorial publicada pela Academia Nacional de Engenharia, John Trump se juntou ao MIT para trabalhar com o professor Robert J. Van de Graaff, que foi pioneiro no “novo campo de geração e aplicações de super alta tensão”. Doutorado em Van de Graaff em 1933, Trump tornou-se professor assistente em 1936 e professor titular em 1952 no MIT.
Robert Van de Graff demonstrando um dos seus primeiros geradores. Crédito: Instituto de Tecnologia de Massachusetts.
De acordo com o tributo memorial:
John Trump tinha dois interesses principais: o isolamento de tensões superelevadas em vácuo e gases comprimidos e as aplicações biológicas da radiação de alta voltagem.
Durante a Segunda Guerra Mundial, Trump trabalhou em radar de microondas no Laboratório de Radiação do MIT, onde atuou como "diretor de serviços de campo", e também foi colocado na filial britânica do Laboratório de Radiação, onde trabalhou diretamente com o General Dwight D. Eisenhower: 
Em 1944, ele foi nomeado diretor do laboratório e recebeu a responsabilidade de trabalhar diretamente com o Comando Militar de Eisenhower. Na liberação de Paris, Trump entrou na cidade com o General Eisenhower e imediatamente começou a montar a filial de Paris do Laboratório de Radiação.
A experiência de Trump com altas tensões e radiação foi amplamente reconhecida pelas autoridades dos EUA, e ele também estava muito familiarizado com os requisitos para trabalhar em programas governamentais confidenciais.
Em 1943, ele desempenhou um papel importante no exame dos documentos pessoais de Nikola Tesla que foram adquiridos pelo FBI / Office Alien Property Custodian logo após a morte de 13 de janeiro de Tesla. Um documento do FBI incluía Trump entre os cientistas e especialistas que investigavam os documentos de Tesla:
Tesla foi o autor de mais de 200 patentes concedidas em todo o mundo, e fez inúmeras reivindicações sobre a construção de raios de morte e paredes eletrostáticas de energia que poderiam proteger qualquer país de ataques.
Entre as invenções de Tesla estava uma revolucionária aeronave em forma de disco - um disco voador - a qual ele supostamente registrou um pedido de patente no início de 1900, mas não foi concedido por motivos de segurança nacional. Aparentemente, Tesla planejou que seu disco voador fosse remotamente alimentado por um “sistema sem fio mundial”, que ele discutiu pela primeira vez em um artigo de 5 de março de 1904 intitulado: “A Transmissão de Energia Elétrica Sem Fios”. Tesla escreveu :
Não só era possível enviar mensagens telegráficas a qualquer distância sem fios, como eu reconhecia há muito tempo, mas também para imprimir em todo o globo as modulações fracas da voz humana, muito mais ainda, para transmitir poder, em quantidades ilimitadas, a qualquer distância terrestre e quase sem perda ... 
Tesla continuou descrevendo como seu "sistema sem fio mundial" seria alimentado por dispositivos semelhantes a sua lendária Wardenclyff Tower, que eventualmente seria capaz de gerar enormes cargas eletrostáticas que superariam as encontradas em raios: 
É difícil formar uma idéia adequada do poder maravilhoso deste aparelho único, pelo auxílio do qual o globo será transformado. As radiações eletromagnéticas sendo reduzidas a uma quantidade insignificante, e as condições adequadas de ressonância mantidas, o circuito age como um imenso pêndulo, armazenando indefinidamente a energia dos impulsos primários e impressões sobre a terra dos impulsos e impressões excitantes primários sobre a terra e sua atmosfera de condução condicional oscilações harmônicas de intensidades que, como testes reais têm mostrado, podem ser empurrados até o ponto de ultrapassar aqueles atingidos nas exposições naturais de eletricidade estática.
A proposta de Tesla de construir um “sistema sem fio mundial” que pudesse alimentar qualquer dispositivo remoto, incluindo seu disco voador proposto, era certamente revolucionária. O que é crítico aqui é que sua proposta de construir dispositivos capazes de gerar enormes cargas eletrostáticas foi o tópico preciso que o Professor Trump havia especializado no MIT com seu trabalho sobre os geradores de Van de Graaff!
Então, a Tesla realmente projetou um disco voador que seria alimentado por algum tipo de gerador de Van de Graaff?
Um inventor de Nova York, Otis Carr, afirma que ele fez amizade com Tesla em 1937, enquanto Tesla estava morando no New Yorker Hotel, e foi instruído por Tesla sobre como construir um disco voador que seria alimentado por um gerador elétrico.
Mais de uma década depois, Carr conseguiu obter uma patente para seu revolucionário ofício de discos voadores, que ele chamou de um dispositivo de parque de diversões para obtê-lo aprovado pelo US Trade and Patent Office. Depois de levantar fundos privados para construir seu OTC-XI, ele testou com sucesso seu disco voador em 1961. De acordo com um dos ex-funcionários de Carr, Ralph Ring, o disco incorporou máquinas de alta voltagem para seus sistemas de propulsão e navegação.
Infelizmente, Ring também contou como a fábrica de Carr foi invadida e fechada por agentes federais por acusações falsas de fraude de valores mobiliários.
Se acreditarmos em Carr e Ring, uma espaçonave civil baseada nas idéias e invenções de Nikola Tesla foi construída e testada com sucesso em 1961. Alguma das idéias de Tesla sobre a construção de um disco voador foi encontrada em seus documentos pessoais após sua morte?
Um artigo no New Yorker descreveu o papel de Trump na avaliação dos trabalhos de Tesla:
Trump estava envolvido em pesquisas de radar para os Aliados na Segunda Guerra Mundial, e em 1943 o FBI tinha fé suficiente em sua habilidade técnica e discrição para chamá-lo quando Nikola Tesla morreu em seu quarto no New Yorker Hotel, em Manhattan, levantando a questão de saber se os agentes inimigos poderiam ter tido a chance de aprender alguns de seus segredos antes que o corpo fosse encontrado. (Um temor era que Tesla estivesse trabalhando em um "raio da morte".) Como Margaret Cheney e Robert Uth relataram em "Tesla, Mestre do Relâmpago"
O professor Trump examinou os papéis e equipamentos de Tesla, e escreveu um relatório para o FBI afirmando que nada do significado de segurança nacional era encontrado dentro deles:
Como resultado deste exame, é minha opinião que existe entre os documentos e posses do Dr. Tesla não há notas científicas, descrições de métodos ou dispositivos até agora não revelados, ou aparatos reais que possam ser de valor significativo para este país ou que constituam um perigo em mãos hostis. Por conseguinte, não vejo qualquer razão técnica ou militar para reter mais a guarda da propriedade.
Professor Trump passou a dar sua conclusão sobre a importância do trabalho de Tesla nos últimos 15 anos:
Não deveria ser um descrédito para este ilustre engenheiro e cientistas cujas sólidas contribuições à arte elétrica foram feitas no início do presente século para relatar que seus pensamentos e esforços durante pelo menos os últimos quinze anos foram principalmente de natureza especulativa, filosófica e Um pouco caráter promocional - muitas vezes preocupado com a produção e transmissão sem fio de energia - mas não incluiu novos sons, princípios viáveis ​​ou métodos para a realização de tais resultados.
Trump não parecia estar impressionado com o histórico de Tesla ou o que havia sido encontrado nos documentos deste último, quando se tratava de seu potencial de aplicação na guerra.
Dadas as afirmações de Tesla e o que numerosos pesquisadores descobriram sobre suas idéias revolucionárias, isso parece estranho. Ou Trump não encontrou nada de importante quando se reportou ao FBI, ou foi instruído por altas autoridades militares a encobrir o verdadeiro significado dos documentos de Tesla em seu relatório para o FBI.
De acordo com Margaret Cheney, autora de Tesla: Man Out of Time , alguns dos documentos, invenções e patentes de Tesla foram apreendidos por agentes do FBI e nunca liberados na arena pública. Se Cheney estiver correto, então John Trump encontrou itens de importância entre a coleção de Tesla que foram tirados e foram mantidos em segredo do público até os dias atuais.
Apesar da controvérsia sobre o que foi recuperado da coleção de Tesla, é claro que ele trabalhou no desenvolvimento de tecnologias revolucionárias, algumas das quais são relevantes para sistemas de propulsão de discos voadores. As reivindicações da Otis Carr ligam diretamente a Tesla a tais tecnologias de propulsão exóticas.
A relevância de tudo isso é que John Trump era o homem que o FBI queria ajudá-los a decidir se os documentos pessoais de Tesla continham tecnologias revolucionárias que eram vitais para a segurança nacional ou não. Essencialmente, o FBI via Trump como o especialista que poderia fazer as recomendações necessárias sobre as tecnologias revolucionárias, algumas das quais diziam respeito a discos voadores, que o FBI e os militares americanos estavam estudando secretamente a partir do que havia sido recuperado em Roswell e em outros locais de colisões.
Um fato histórico pouco conhecido é que os geradores da Van de Graaff, que o professor John Trump se especializou no MIT, eram um componente-chave da pesquisa de discos voadores sendo secretamente realizada na Alemanha nazista. De acordo com Vladimir Terziski, engenheiro elétrico que era membro da Academia de Ciências da Bulgária antes de emigrar para os Estados Unidos, as máquinas Van de Graaff faziam parte do sistema de propulsão para diferentes protótipos de discos voadores desenvolvidos pela Alemanha nazista.
Terziski explicou que os modelos de Vril e Haunebu possuíam um sistema de propulsão eletro-gravitico chamado drives Thule-Tachyonator. Estes foram desenvolvidos pela primeira vez em 1939 por uma unidade de desenvolvimento nazista SS que incorporou geradores Van de Graaff, como aprendeu com documentos da SS adquiridos e liberados por Terziski após o colapso do Pacto de Varsóvia:
Este grupo desenvolveu em 1939 um revolucionário motor eletromagnético gravítico que melhorou a máquina de energia livre de Hans Coler em um Konverter de energia acoplado a um gerador de banda Van De Graaff e um dínamo de mercúrio para criar poderosos campos eletromagnéticos giratórios que Gravidade afetada e massa reduzida. Ele foi designado como Thule… [unidade Tachyonator-7] e deveria ser instalado em um disco projetado pela Thule.
Se a experiência de Trump sobre os geradores de Van de Graaff o levou a aprender sobre os sistemas de propulsão usados ​​na pesquisa de discos voadores, há alguma evidência documental ligando o professor Trump à pesquisa e desenvolvimento do governo dos EUA a esse respeito?
De fato, existe. Um documento do Majestic chamado “White Hot Report ” recebeu classificação de “ Alto Nível de Autenticidade ” pelo Dr. Robert Wood e Ryan Wood, que se especializaram em pesquisar e autenticar documentos governamentais e militares vazados dadas as classificações de segurança MAJIC e de nível similar.
O documento Majestic vazado diz respeito a um relatório pelo então Major General Nathan Twining sobre a necessidade de criar um comitê permanente para avaliar o acidente de UFO de Roswell, considerando as muitas questões vitais de segurança nacional em torno da visitação da vida extraterrestre e suas tecnologias avançadas. O White Hot Report descreve uma lista de instituições científicas envolvidas no estudo de tais artefatos extraterrestres. Destacadamente listado entre eles é o MIT.
Esta é uma descoberta impressionante, uma vez que liga diretamente a instituição onde o professor Trump trabalhou, com estudos secretos do governo sobre o acidente de UFO de Roswell. Dada a experiência de Trump em radiação de alta voltagem e geradores de Van de Graaff, seu papel de 1943 na avaliação de documentos pessoais de Tesla e trabalho para programas classificados do governo dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, é razoável concluir que Trump era quase certamente entre os especialistas do MIT consultados sobre o tecnologias revolucionárias encontradas em Roswell.
Trump provavelmente também estava muito familiarizado com os esforços secretos de pesquisa e desenvolvimento das autoridades dos EUA para desenvolver tecnologias de discos voadores para um futuro programa espacial devido à sua experiência em geradores Van de Graff - um componente vital dos sistemas de propulsão de discos voadores.  
A grande questão é: o professor Trump passou alguma dessas informações surpreendentes para o sobrinho, Donald?
John Trump morreu em 1985, aos 78 anos, quando Donald tinha 39 anos, e na época um magnata imobiliário de sucesso, que muitas vezes dava entrevistas a grandes meios de comunicação.
Trump mencionou seu tio pela primeira vez em um perfil de 1984 do New York Times, onde ele disse que eles começaram a falar sobre física e desarmamento nuclear 15 anos antes. Donald tinha cerca de 23 anos na época e um ano antes (maio de 1968) se formou na Wharton School da Universidade da Pensilvânia, com bacharelado em economia.
New York Times explicou a influência que seu tio teve em Trump sobre o desarmamento nuclear:
[Donald Trump] diz que sua preocupação com o holocausto nuclear não é algo que surgiu em sua mente durante um filme recente feito para a televisão. Ele diz que está incomodando desde que seu tio, físico nuclear, começou a falar com ele sobre isso 15 anos atrás.
Em uma conferência de imprensa em 12 de junho de 2018, após seu encontro com o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, o presidente Trump falou sobre seu tio e como ele ajudou a moldar seus pontos de vista sobre a importância do desarmamento nuclear:
Eu costumava discutir nuclear com ele o tempo todo ... Ele era um grande especialista, ele era um grande gênio brilhante.
As referências de Trump ao seu tio John mostram o quão influente ele foi em moldar seus pontos de vista sobre o desarmamento nuclear e outros tópicos científicos avançados. Poderiam algumas dessas discussões ter coberto invenções desenvolvidas por Nikola Tesla e tecnologias recuperadas do acidente do UFO em Roswell?
Há duas ações tomadas por Trump durante e depois de sua posse presidencial que sugerem que as invenções de Tesla e o acidente de UFO de Roswell estavam entre os assuntos que ele e seu tio discutiram em particular.
Durante seu discurso de posse, Trump disse :
Estamos no nascimento de um novo milênio, pronto para desvendar os mistérios do espaço, libertar a terra das misérias das doenças e aproveitar as energias, as indústrias e as tecnologias de amanhã.
Trump está aqui claramente aludindo a algumas tecnologias revolucionárias que seu governo planeja lançar, que transformarão as indústrias de saúde, transporte e espaço.
Trump emitiu um memorando secreto mais ou menos um dia depois de seu discurso de posse lidando com tecnologias revolucionárias, de acordo com Corey Goode, membro do programa espacial secreto cujo depoimento foi apresentado no documentário mais vendido, Above Majestic . Essencialmente, Trump exigiu que a comunidade de inteligência revogasse seus pedidos de sigilo em mil dos 5.680 pedidos de patentes que estavam sendo retidos. Ele supostamente disse a eles para fazê-lo dentro de um período de dois anos.
É bem possível que alguns dos documentos confiscados de Tesla incluíssem pedidos de patente que ficariam entre aqueles que haviam sido retidos pela comunidade de inteligência, e talvez até incluíssem seu suposto dispositivo de disco voador que seria remotamente alimentado por um sistema sem fio mundial. Segundo a Federação de Cientistas Americanos, o número de pedidos de patente mantidos por ordens de sigilo aumentou para 5.784 até o final de 2017.
Se Trump emitiu tal Memorando, ainda não há sinal de que está sendo colocado em prática pela comunidade de inteligência. Isso pode ser devido à intensa batalha nos bastidores entre a administração Trump e o Deep State, como eu já falei em artigos anteriores .
A segunda ação, sugerindo que seu tio lhe contara sobre as invenções de Tesla e o acidente de Roswell, diz respeito à proposta do presidente Trump para uma Força Espacial , apesar das objeções do Congresso e até mesmo dos militares dos EUA. Sua proposta pode ser guiada por seu conhecimento de que as tecnologias de discos voadores incorporando radiação de alta voltagem e as máquinas Van de Graaff encontradas em Roswell, sobre as quais seu tio John confidencialmente lhe falara, haviam sido desenvolvidas e construídas décadas atrás para um ou mais espaços secretos. programas.
A ideia que Trump conhece dos programas espaciais secretos e da vida extraterrestre é fortalecida pelos recentes posts do grupo de inteligência militar que trabalha com sua administração, Q Anon, confirmando sua realidade . Mais importante ainda, a QAnon estava sinalizando que a administração Trump tem uma agenda de divulgação completa.
O desejo de Trump por uma Força Espacial parece ser parte de um plano para arrancar o controle de informações sobre programas espaciais secretos e vida extraterrestre, longe do Estado Profundo e das corporações transnacionais . Se Trump tiver sucesso em seu plano de capacitar o Escritório do Presidente dos Estados Unidos para executar programas altamente confidenciais, então as mudanças revolucionárias prometidas em seu discurso de posse, podem não estar muito distantes.
Se assim for, poderemos agradecer a John Trump por inspirar seu sobrinho desde cedo sobre a existência de tecnologias de saúde e transporte que mudam a vida ligadas à pesquisa confidencial de discos voadores, algumas das quais se originam desde a pesquisa pioneira de Nikola Tesla. realizado há mais de um século.
© Michael E. Salla, Ph.D. Aviso de direitos autorais

Leitura Adicional